Publicação BMPEG



Acaba de publicar-se no Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi um artigo da equipa Dryas, em colaboração com a Scientia Consultoria, acerca da metodologia de documentação de gravuras rupestres.

Criado por Emílio Goeldi em Setembro de 1894, o Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi é hoje um dos periódicos científicos mais antigos e reputados do Brasil.

Na última edição da versão de Ciências Humanas, publicada no final de 2013, o BMPEG dedica um número inteiro a um dossier de “Metodologia da pesquisa arqueológica”.

O carácter inovador dos trabalhos de documentação digital de gravuras rupestres que vêm sendo realizados pelas equipas Dryas/Morph/Scientia em vários sítios de arte rupestre do Brasil justificou a inclusão neste dossier de um artigo de carácter metodológico, que descreve opotencial das técnicas de teledetecção (laser e fotogramétricas) para o estudo da arte rupestre.

O artigo, da autoria de Renato Kipnis, Hélder Santos, Michelle Tizuka, Miguel Almeida e Mónica Corga, com o título “Aplicação de tecnologias de modelagem 3d conjugadas às técnicas tradicionais para o registro de gravuras rupestres do rio Madeira, Rondônia, Brasil”, usa um caso de estudo realizado em 2011.

Sendo o BMPEG uma revista de acesso aberto, o PDF do artigo integral pode ser descarregado gratuitamente do site do Museu (http://www.museu-goeldi.br/editora/humanas/index.html).



Arquivo de Notícias