III Jornadas Portuguesas de Paleopatologia



A investigação antropológica dos esqueletos exumados da necrópole da Gafaria de Lagos esteve na base de dois trabalhos apresentados nas III Jornadas Portuguesa de Paleopatologia.

As Jornadas Portuguesas de Paleopatologia, organizadas pelo CIAS (LINK) e pelo GEEvH (LINK), voltaram a ter lugar em Coimbra, tendo a sua 3ª edição ocorrido no passado fim-de-semana, dias 2 e 3 de Novembro, no Departamento de Ciências da Vida (edifício da Antropologia).

Três antropólogas do iDryas-GAPlab apresentaram dois posters acerca de esqueletos exumados da necrópole da Gafaria de Lagos (sécs. XV-XVII), pela Dryas em 2009, com lesões ósseas distintas da lepra. Embora apartada do hospital, a caracterização contextual, arqueotanatológica e bioantropológica dos onze enterramentos identificados permitiu a sua associação à leprosaria.

No entanto, apesar de alguns mostrarem lesões típicas da lepra (lepromatosa e tuberculóide), alguns esqueletos exibiam patologias distintas. De facto, os casos apresentados nas Jornadas Portuguesas de Paleopatologia são de dois indivíduos que sofreram de outras doenças infecciosas, que não a lepra. As análises, macroscópica e radiológica, detectaram lesões osteolíticas compatíveis com diagnósticos de brucelose, num caso, e sífilis, noutro caso.

Estes casos são particularmente relevantes ao corroborarem as fontes históricas que sugerem que outros enfermos, para além dos sofredores de lepra, seriam acolhidos nas gafarias, e também por acrescentar dois casos, um de brucelose e outro de sífilis, aos raros até agora identificados em material osteoarqueológico português.


Anexos:

Um caso provável de sífilis no cemitério da leprosaria de Lagos (sécs. XV-XVII)

Um caso provável de brucelose no Valle da Gafaria de Lagos (sécs. XV-XVII)


Arquivo de Notícias