História da cidade de Leiria



Desde 2007 que a Dryas vem desenvolvendo, sempre no âmbito de projectos municipais de requalificação urbana, um conjunto de intervenções de Arqueologia Preventiva na zona do Centro-Alto Histórico de Leiria que se revelam cruciais para a compreensão da história da cidade.

Embora visando sempre um mesmo objectivo de salvaguarda patrimonial, as diferentes intervenções foram executadas segundo estratégias e metodologias de trabalho distintas, adequadas ao potencial arqueológico de cada uma das áreas intervencionadas, às características das empreitadas em execução e aos resultados arqueológicos progressivamente obtidos.
As intervenções realizadas resultaram no reconhecimento de evidências arqueológicas e informação arqueo-estratigráfica muito relevante, quer para a composição detalhada da história de ocupação de espaços mais específicos no interior da malha urbana antiga, quer para a tarefa mais ampla de compreensão da história da cidade de Leiria. Destacam-se:
- um conjunto de estruturas arqueológicas que pela primeira vez comprova as ocupações pré-romana e romana do morro do Castelo;
- a caracterização da necrópole associada à Igreja de S. Pedro, com uma utilização intensa e prolongada no tempo, cujos limites preservados abarcam uma área bastante extensa;
- a identificação de uma área de necrópole associada à Igreja de Santo Estevão, anteriormente desconhecida naquele espaço da cidade; e
- a definição de uma zona associada à produção de cerâmica, também completamente inédita.
Para além destas descobertas, as intervenções Dryas têm permitido o reconhecimento de um conjunto de estruturas – troços de muros, de calçadas e de condutas de água – que, embora não constituindo elementos patrimoniais singulares, quando analisados em conjunto constituem informação fundamental para a reconstrução crítica da história do urbanismo da cidade.
Independentemente dos contextos de intervenção, estratégias e metodologias de trabalho utilizadas, o conjunto de tarefas de registo, caracterização, análise, interpretação e divulgação do património arqueológico constituem sempre acções essenciais para a construção do conhecimento sobre os centro urbanos antigos, cujo valor acrescido resulta exactamente da sua profundidade histórica, objecto de estudo (também) da Arqueologia.
Estes resultados científicos foram objecto de apresentação de Gina Dias e Lília Basílio na segunda sessão do “2º Ciclo de Conferências: Arqueologia em Leiria” (Maio a Outubro de 2011), subordinada ao tema: “M|I|MO, Museu da Imagem em Movimento – A evolução urbanística do Centro Histórico de Leiria: Intervenções arqueológicas” (2011-07-11).



Arquivo de Notícias