EAA’13: resultados



Decorreu no passado dia 8 em Pilsen, na República checa, a sessão B01 do Congresso anual da EAA (European Association of Archaeologists), proposta pela iDryas para discutir os últimos desenvolvimentos da Arqueologia do Edificado.

Arqueologia do Edificado é uma disciplina específica da Arqueologia que se dedica ao estudo detalhado dos edifícios históricos com métodos de análise, nomeadamente de análise estratigráfica, originários da área da Arqueologia.

Esta abordagem compreende o edifício na sua dimensão histórica, como um repositório de informação relevante para a compreensão da evolução urbana da cidade em que se localiza, com base numa descrição e caracterização rigorosas dos materiais e técnicas de de construção utilizados no edifício, tanto no seu momento construtivo inicial, como em qualquer remodelação posterior.

Nestes termos, a Arqueologia do Edificado assume-se também progressivamente como uma disciplina fundamental para as intervenções de reabilitação urbana e de restauro de edifícios, na medida em que – por caraterizar detalhadamente não apenas as sucessivas fases de utilização e funções do edifício, mas também os materiais de construção que inclui e as suas propriedades física – produz informação da máxima importância tanto para o projecto de Arquitectura, como para o próprio trabalho de engenharia a desenvolver no terreno.

A sessão “Adding technology”, organizada no âmbito do congresso da EAA em 2013, visava e conseguiu efectivamente, promomover um debate aberto sobre o actual estádio de desenvolvimento desta sub-disciplina da Arqueologia e seus caminhos de desenvolvimento futuro. Esta discussão decorreu com base na apresentação de diversos projectos com forte mpacto tecnológico, que permitiram cobrir de forma bastante completa a diversidade de áreas tecnológicas envolvidas na Arqueologia do edificado, com particular destaque para: a prospecção geofísica; a modelação 3d, com base em diferentestecnologias de teledetecção, a caracterização física de materiais de construção; a datação radiométrica da idade dos materiais; e a questão da acumulação e gestão da informação.

Beneficiando ainda da presença de arquitectos entre os participantes na sessão, foi também conferido particular destaque à discussão das questões de natureza prática relativas à integração destes procedimentos nos projectos de restauro/reabilitação urbana, preferencialmente em fase de diagnóstico das características e estado de conservação do edifício a intervencionar.



Arquivo de Notícias