Decorre projecto 3DCm



Os crânios dos esqueletos dos escravos africanos, recuperados do antigo Valle da Gafaria de Lagos estão a ser alvo de digitalização 3D no âmbito do projecto 3DCm.

O projecto de investigação 3DCm – Modelos cranianos tridimensionais: ferramentas para uma nova abordagem craniométrica, uma parceria entre o grupo Dryas Octopetala, oCENCIFOR – Centro de Ciências Forenses e a Universidade de Aveiro, está em curso, com uma equipa inclui especialistas em Antropologia, Engenharia Inversa e Informática. Esta abordagem multidisciplinar constitui uma inovação nos estudos acerca de escravos africanos.

Na prática antropológica, a ancestralidade e o sexo de um crânio não identificado ainda são frequentemente determinados com base em parâmetros craniométricos tradicionais, embora a insuficiência desses parâmetros para descrever formas complexas e certas características craniofaciais seja reconhecida, bem como a sua aplicabilidade a espécimes fragmentados.

Este projecto desenvolverá um novo método de análise craniométrica, bem como um software que permita uma mais precisa e completa caracterização de crânios humanos. Novas ferramentas de análise craniométrica e morfométrica serão desenvolvidas para estimativa da ancestralidade e do sexo com base no crânio. Estas ferramentas permitirão também uma melhor conservação dos restos ósseas e tornar a sua informação morfológica disponível à comunidade científica na forma de modelos 3D.

As aquisições 3D dos crânios estão a decorrer e já se iniciou o seu pós-processamento. No que respeita ao software de modelação, este irá ser desenvolvido por um aluno da Universidade de Aveiro que, recentemente, se juntou à equipa.

 

 



Arquivo de Notícias