Castr’Uima, Geofísica



No âmbito de uma colaboração com o projecto Castr’Uima, uma intervenção de prospecção geofísica no Areal de Favaios visa caraterizar a evolução paleogeográfica do local e recolher indícios acerca da possibilidade de existência de estruturas portuárias.

projecto de investigação Castr’Uima tem por objectivo o estudo global das ocupações antrópicas do cabeço do Castelo de Crestuma, representadas por um conjunto intrigante de estruturas e vestígios tanto no apex da elevação, em situação de domínio visual importante sobre o curso do Douro, como na encosta e margem do rio.

Se a ocupação no topo está hoje documentada pelos resultados das escavações arqueológicas em curso no local, as sondagens realizadas no areal de Favaios revelaram resultados que adensam ainda as questões levantadas pelos dados recolhidos na superfície, relativos à possível localização de um antigo porto de rio em época alto-medieval.

Para responder a estas questões, relacionadas com a caracterização da estratificação existente no local e o mapeamento de eventuais estruturas enterradas, a fim de garantir uma planificação eficaz da intervenção de sondagens a realizar neste Verão de 2012, desenhámos uma campanha de prospecção geofísica por georradar com apoio topográfico rigoroso que veio a traduzir-se em trabalhos de campo realizados entre Maio e Junho de 2011.

Os seis polígonos de aquisição que então realizámos, numa área total de 700m2, revelaram dados fundamentais para a interpretação subsequente do sítio, forneceram dados para um trabalho aturado de processamento de sinal em gabinete para permitir uma análise estática 2d e dinâmica 3d que suporta a interpretação dos dados em termos de indícios relevantes para a compreensão da história do local e a referida eventual presença de um porto medieval.

Resulta a identificação clara da localização exacta das possíveis estruturas do porto, bem assim como um conjunto de informações decisiva para a compreensão da evolução paleogeográfica deste tramo do rio Douro.

Em conformidade com o plano de intervenção multidisciplinar desenhado para o local, segue-se agora a realização da campanha de sondagens arqueológicas, a qual será também acompanhada pela equipa de Geofísica, de molde a afinar os resultados obtidos com o procedimento, indispensável, de ground truthing, que só estas sondagens podem concretizar.



Arquivo de Notícias