Sítio arqueológico Monte dos Cotéis 3



A Dryas concluiu recentemente uma intervenção de Arqueologia Preventiva no sítio moderno do Monte dos Cotéis 3. Esta escavação traduziu-se na aquisição de importantes dados para a compreensão e análise do mesmo, em conjugação com os vestígios arqueológicos identificados e escavados por uma equipa anterior.

O sítio arqueológico Monte dos Cotéis 3, localizado no concelho de Moura, ocupa na paisagem uma elevação que permite um amplo domínio visual sobre o território, dispondo de um importante recurso hídrico, traduzido pela proximidade à ribeira dos Caliços.

Uma escavação arqueológica anterior permitiu a identificação de um conjunto de vários contextos preservados, atribuíveis a Época Moderna, destacando-se o reconhecimento de vestígios de um edifício de cronologia moderna, alvo de sucessivas remodelações.

A intervenção da Dryas resultou na identificação de um edifício próximo daquele. Esta proximidade seria, aparentemente, dividida por um caminho, de orientação sul-norte, que separaria estas duas habitações, onde não se observaram estruturas (positivas e /ou negativas) ou vestígios destas no referido espaço.

Neste edifício escavado assinalam-se algumas etapas de remodelação, facto evidente na observação de diversas soluções arquitectónicas, na sobreposição de estruturas, na verosímil alteração funcional de utilização dos compartimentos. No interior destes identificaram-se vários pisos em terra batida, cobertos por níveis de derrube, assim como uma lareira em tijoleira. Observaram-se também dois poços / cisternas de dimensão apreciável, bem como uma grande fossa. Intervencionou-se também parte de uma lixeira, tendo a sua escavação sido iniciada na intervenção anterior, que continha vasto espólio arqueológico.

O registo artefactual relacionado com o edifício identificado permite desde já apontar que o mesmo se situará cronologicamente entre os sécs. XVI e o XVII. No conjunto cerâmico recolhido predomina, com grande expressão, a cerâmica comum, a cerâmica vidrada (verde e melada), a faiança, a talha. Na cerâmica de uso construtivo observou-se número assinalável de telha de meia-cana (nomeadamente, nos níveis de derrube), tijoleira e tijolo-burro. Identificaram-se também alguns restos de fauna e de utensílios em ferro.

A análise dos dados arqueológicos que resultaram da intervenção da Dryas, conjugados com os resultados prévios a esta, permitem um contributo importante para o estudo e caracterização do período Moderno no concelho de Moura, onde ainda são relativamente desconhecidos estes habitats de implantação rural, e, por consequência, numa unidade espacialmente mais vasta como seja na margem esquerda do Guadiana.



Arquivo de Notícias