Rua da Bainharia



Os trabalhos de sondagem arqueológica recentemente desenvolvidos pela Dryas na Rua da Bainharia – edifício 50/52 – permitiram a identificação de diversas realidades arqueológicas, oferecendo assim novos contributos para a história urbana deste bairro.

Esta intervenção de Arqueologia preventiva integra-se no projecto de reabilitação de vários edifícios no Morro da Sé promovidos pela Porto Vivo – S.R.U., localizados em pleno núcleo urbano do Porto, classificado como Património da Humanidade.

A parcela 50 / 52, que se encontrava em avançado estado de degradação, será alvo de remodelação arquitectónica e consequentemente sofrerá uma afectação directa no subsolo em virtude da renovação da rede de infra-estruturas. Em virtude deste facto foi necessário implantar-se um programa de sondagens arqueológicas distribuído coerentemente pela parcela (evitando-se escavar directamente sobre as infra-estruturas recentes, porque arqueologicamente desinteressante) que visava explorar o potencial arqueológico desta parcela integrada numa zona da cidade onde foram identificados vestígios preservados de diversas épocas, logo, de elevado potencial arqueológico.

As observações proporcionados por esta escavação arqueológica traduzem-se, genericamente; em duas realidades: a) ao nível das estruturas realça-se a identificação de um poço de planta circular escavado no substrato rochoso e construído com recurso a silhares de granito; sobre esta estrutura identificou-se um aqueduto, posterior ao referido poço, feito com blocos irregulares de granito e algumas placas de xisto, apresentando planta de desenvolvimento linear (orientação se-nw); b) ao nível da sedimentação destacam-se dois grandes conjuntos sedimentares: um primeiro em que sobre o substrato rochoso se observam depósitos concordantes com a (acentuada) vertente do local e que integram fragmentos cerâmicos proto-históricos e romanos; e um outro, posterior, constituído por aterros que teriam como finalidade a regularização topográfica da superfície e onde se identificaram várias cerâmicas vidradas, faianças, porcelanas, entre outro tipo de material.

Os resultados desta intervenção de Arqueologia preventiva revelaram-se muito positivos, embora tenham levantado algumas questões às quais ainda não foi possível obter resposta. Contudo, é de realçar o contributo destes dados arqueológicos que, conjugados com os significativos dados proporcionados pelas várias intervenções no Morro da Sé poderão suportar a (re-)constituição da história desta zona antiga da urbe portuense.



Arquivo de Notícias