Musealização da Sé Velha de Coimbra



No dia 19, a Dryas iniciou um novo projecto de Arqueologia preventiva no âmbito da conclusão da 1ª fase do projecto de musealização da Sé Velha de Coimbra.

Os trabalhos que decorrem sob a responsabilidade da Dryas no claustro da Sé Velha e áreas adjacentes seguem-se a uma intervenção de sondagens arqueológicas para avaliação prévia do impacto da empreitada prevista sobre este local de elevado valor patrimonial e potencial arqueológico, no sentido de informar decisões posteriores relativas à minimização desses mesmos impactos.

Deste modo, os trabalhos que se prevêem para esta fase do projecto e que justificam esta intervenção de arqueologia preventiva traduzem-se em: 1) levantamentos pontuais do lajeado do 1º piso para substituição de elementos pétreos degradados e para rectificação das cotas de piso; 2) abertura de valas para colocação de infra-estruturas; e 3) protecção com geotêxtil e colmatação com areia e sedimento de estruturas arqueológicas e cortes estratigráficos escavados.

Até ao momento, a intervenção de Arqueologia preventiva permitiu a identificação de umalinhamento pétreo na convergência das alas norte e oeste do claustro, imediatamente sob as lajes do piso actual. Esta estrutura, de orientação W-E, foi construída com recurso a pedra calcária unida com uma argamassa à base de cal e areia e poderá corresponder a um embasamento de um muro entretanto demolido, indiciando reformulações naquele sector.

A prossecução dos trabalhos de Arqueologia no claustro, obra onde se observam as primeiras manifestações do estilo gótico em solo nacional, é fundamental com vista à possível identificação de novas ocorrências arqueológicas e sua necessária salvaguarda, no contexto de uma intervenção sobre um monumento tão relevante para a cidade mas ainda tão pouco conhecido.



Arquivo de Notícias