Musealização da Sé Velha – 1ª fase – Conclusão



A Dryas continua a executar a monitorização contínua dos trabalhos de musealização da Sé Velha de Coimbra.

A intervenção de arqueologia preventiva que decorre sobre a responsabilidade da Dryas compreende o acompanhamento arqueológico da abertura de valas, o levantamento pontual de lajeado do deambulatório para colocação de infra-estruturas e ainda a colmatação da sondagem arqueológica da torre (já executada) e da fonte do claustro (ainda em resolução).

No decurso destes trabalhos de monitorização arqueológica têm vindo a ser identificados diversas realidades arqueológicas. No canto NW do deambulatório, junto de um antiga acesso à igreja, foi identificada uma estrutura que parece corresponder a um lintel entre as colunas que delimitam o deambulatório.

Esta realidade arqueológica sobrepõe-se a um alinhamento de orientação sul-norte, construído com recurso a elementos pétreos de calcário agregados com argamassa de cal (fig. 1). Não é possível, no momento actual, obter mais dados arqueológicos que permitam caracterizar esta estrutura dado o carácter pontual da intervenção no subsolo, exclusivamente limitada à área estritamente necessária para a colocação das infra-estruturas.

A leste, na capela de Santa Maria foi identificada, sob o lajeado, uma estrutura pétrea integrante de uma vala de escoamento de águas (fig.2). Aparentemente, a necessidade de construir esta estrutura ter-se-á justificado por ali se estar na presença duma depressão do substrato geológico muito meteorizado pela infiltração de águas, problema crónico no monumento.

No jardim do claustro, que havia sido escavado na fase prévia à intervenção Dryas, foi necessário, no extremo sul, proceder-se ao desmonte da cobertura argamassada de um canalete escavado no substrato rochoso e que se integrava no sistema de canalizações da fonte central (fig.3). Aproveitou-se esta oportunidade para limpar toda esta estrutura e proceder ao seu registo gráfico e fotográfico.

Destaca-se também nesta intervenção a identificação de vestígios osteológicos que preenchiam os enchimentos quer de valas de infra-estruturas anteriores quer nalguns aterros de assentamento de lajeados indiciando afectações antrópicas decorrentes das diversas obras e restauros anteriores que terão provocado a remobilização de alguns dos contextos funerários presentes no claustro.

Os trabalhos de acompanhamento arqueológico encontram-se, já, na sua fase final e os resultados, descritos aqui de forma muito sucinta, demonstram a importância crucial deste tipo de trabalhos arqueológicos para a compreensão da história deste monumento nacional. 



Arquivo de Notícias