Muralha de Soure Expo’15



Setembro marcará a inauguração do Centro Interpretativo da Muralha de Soure, com uma exposição dedicada aos trabalhos de Arqueologia realizados na zona do Castelo e Igreja de Santa Maria de Finisterra e programa de investigação que tem vindo a ser desenvolvido desde 2003 pela Dryas, em íntima colaboração com o Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra.

Na sequência de um vasto conjunto de trabalhos de campo e de laboratório desenvolvidos desde 2003, pela Dryas na zona do Castelo e Largo da Igreja de Santa Maria de Finisterra, em Soure, está agora em curso a preparação de uma exposição dedicada aos trabalhos realizados e resultados obtidos ao longo de todos estes anos de investigação.
Concebida para a inauguração do Centro Interpretativo da Muralha de Soure (CIMS), esta exposição, criada em colaboração pela Dryas e pela Câmara Municipal de Soure, vem assim marcar um momento determinante da evolução do projecto de estudo deste espaço, onde no passado se desenrolaram alguns eventos fundamentais para a compreensão da história medieval de Portugal.
Um destaque muito particular é conferido à exploração da vasta informação oferecida pela escavação do cemitério da Igreja de Santa Maria de Finisterra, uma necrópole de longa duração que documenta a relação morte e diversos aspectos da vida quotidiana das populações medievais e modernos de Soure, quer nas suas vertentes sócio-económicas, quer religiosas e outras.
Por outro lado, o enquadramento do CIMS na “Rede de Castelos e Muralhas do Mondego” justifica também uma atenção muito especial à evolução da própria estrutura defensiva de Soure e sua integração no território envolvente.
Paralelamente, também faz parte dos princípios condutores de todo o discurso expositivo mostrar os aspectos metodológicos da investigação, cumprindo assim a necessidade de divulgação do próprio processo científico, quer através da exposição no interior do edifício CIMS, quer na própria área escavada, que também se musealizará.
A inauguração desta exposição, que não marca um ponto de chegada, mas antes um momento de aceleração do projecto de investigação do Castelo de Soure e necrópole da Igreja de Santa Maria de Finisterra está previsto para meados de Setembro próximo.



Arquivo de Notícias